Grumft

21 de nov de 2011




O Sino e o Relógio

“O sino e o relógio, marcadores de tempos diferentes, iniciaram uma disputa há oito séculos para orientar e disciplinar a vida das comunidades ocidentais. Com o tempo, o relógio venceu o sino, estabelecendo por sua vez uma nova tirania sobre homens e mulheres.”

"Relógio! deus sinistro, assustador e impassível..."



C.Baudelaire, Flores do Mal, 1857






O Grito do Medievo

<><> <><> <><> <><> <><> <><>


 


O dia-a-dia de toda a cristandade era regulado pelo bimbalho forte que saindo do alto da torre da igreja inundava tudo ao redor, invadindo os silêncios dos campos vizinhos e empinando até as orelhas dos bichos. O sino foi durante muito tempo o grito do medievo. Era o que fazia soar os alarmes, os socorros, lamentava as pestes e acompanhava pesaroso os enterros. Registrava também as alegrias da comunidade, o dia do padroeiro, o nascimento do príncipe, a boda da princesa ou uma festa do senhorio.

Surge o relógio

<><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><>









Coube aos alemães inventar o relógio mecânico por volta de 1200, pois o braço do sineiro lhes pareceu imperfeito para atender as necessidades do trabalho diário. A amplitude e diversidade do artesanato exigiam um marcador de tempo mais preciso, visto que, o relógio dágua que conheciam era inútil nas épocas mais duras de inverno. Confiaram desde então, tudo em pêndulos, num mecanismo composto por motor que determinava com a máxima precisão.


O capataz, o chefe de escritório, o gerente, todos armados de relógios e de cronômetros, tornaram-se os disciplinadores das massas nas sociedades industriais de hoje. Para atazaná-las ainda mais, inventou-se um desconstrutor de sonhos: o despertador, sonoro pequeno porrete que agride com louca estridência as últimas profundezas do cérebro adormecido para fazer com que a pontualidade entrasse no rol das virtudes, e o atraso no dos pecados. Aquilo que surgiu para emancipar o homem dos badalos do sino, gradativamente tornou-se um tirano, o Grande Irmão que se faz presente em todos os momentos da vida, não dando folga nunca, não afrouxando jamais.

O RELÓGIO DE PULSO

O inventor do relógio de pulso foi o mesmo do avião: o brasileiro Santos Dumont. O “pai da aviação” pretendia cronometrar o tempo de voo dos seus aviões durante as experiências.
Naquela época, os relógios usavam-se nos bolsos, presos a uma corrente.
Como Santos Dumont não podia tirar as mãos dos comandos para ver as horas, encomendou ao joalheiro Cartier um modelo que ficasse fixo no braço e facilitasse o controlo das horas.
Em 1904, Louis Cartier criou, então, para o seu amigo, o aviador brasileiro, o 1.º relógio de pulso com pulseira de couro.
Contudo, só em 1911 é que esse relógio começou a ser comercializado.
Créditos:

http://passadocurioso.blogspot.com/2008/04/o-relgio-de-pulso.html








A Steel Shade – Óculos & Relógios acredita que tudo isto é muito mais simples:

 Na verdade, hoje, os acessórios de moda representam e marcam um estilo personalizado para cada um de nós.
Créditos:

http://educaterra.terra.com.br/voltaire/artigos/sino2.htm